I am not

I am not
quotation

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Como contraponto a coisas que tenho postado aqui de André Gorz e de Yann Boutang


Sugiro Bernard Stiegler, por exemplo neste seu belo livro de entrevistas:
"ÉCONOMIE DE L'HYPERMATÉRIEL ET PSYCHOPOUVOIR. Entretiens avec Philippe Petit et Vincent Bontemps", Paris, Mille et Une Nuits (Fayard), 2008.
Para os que falam de capitalismo pós-industrial, é interessante esta transcrição que faço de pequeno excerto da contra-capa:

"Longe de desaparecer, a industrialização prossegue e reforça-se, investindo em novos campos, invisíveis, que vão das nano-estruturas até aos fundamentos neurológicos do inconsciente, passando pelas biotecnologias: os campos do hipermaterial, onde a matéria é sempre já uma forma (como ao nível quântico), onde a forma é sempre já uma informação (quer dizer um estado transitório de matéria produzido por um material) e onde o "imaterial" aparece no que é: uma fábula que enche os espíritos de fumo."

Pensador da técnica, da tecnologia, Stiegler é capital para os arqueólogos.
Um dos seus inspiradores: André Leroi-Gourhan. Outro: Gilbert Simondon.


Adenda:
ESTE LIVRO É FANTÁSTICO !!!!!!!!!!! DEVIA SER TRADUZIDO !!!!!!!!!!



1 comentário:

José Manuel disse...

Onde se pode ver melhor o "imaterial" na economia é na observaçao do comportamento das bolsas de valores, nomeadamente em produtos como os "Futuros" e os "Derivados" e dos seus agentes. Os valores que aqui são transaccionados deixaram de ter qualquer existência concreta e, no fundo, resumem-se à transação de "Expectativas futuras". Mas é este mundo imaterial dos movimentos financeiros globais, também ele desmaterializado, que domina e condiciona cada vez mais a outra economia de produção de bens e serviços.