I am not

I am not
quotation

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

exposição total

percebendo, o que não é muito difícil, que na nossa civilização todos somos uma mercadoria, o que fazem as pessoas que se expõem muito, e tiram daí proveito e lucro? Levar até às últimas consequências, assumindo a hipocrisia da nossa sociedade "transparente", as vantagens dessa exposição. evidentemente que assumem riscos...
por exemplo, a(o)s "artistas" porno. vendem em sites, blogues e o mais que haja e venha, a sua imagem, que é tudo o que têm. Exploração por exploração, através do corpo e das poses ocupam um lugar não dispiciendo no espaço público.
suscitam um desejo que muitos políticos bem cobiçariam... claro que depois vêm sempre os moralistas dizer que a pornografia é uma exploração da pessoa humana (e é uma das suas faces mais visíveis, é óbvio), mas a pergunta é: não está ela, como tantos outros "flagelos" (droga, tráfico de tudo, crime, exclusão, corrupção de toda a espécie) na lógica de um mundo ancorado na mercantilização geral?
não irão muitos desses moralistas compensar a bondade dos seus discursos com a consulta atempada, secreta, dos sites porno? tudo quanto parece e se afirma publicamente como muito recto, e justo, muito "straight", suscita sempre dúvidas e desconfiança... tanta afirmação bondosa, justa, recta, para não dizer justiceira, esconde muita coisa por detrás, ou não fôssemos nós, para podermos ser humanos, trabalhados também por uma dose apreciável de perversidade... assim, quem grita por coisas puras, assépticas, a mim apetecia-me pô-lo(a) num frasco de formol, e este num museu das aberrações.
é mais inocente a exposição total de uma artista porno, nas margens da legalidade, do que a congeminação racional de um gestor de alto nível que todos os meses ganha legal e triunfalmente, em completa discrição, dezenas de milhares de euros em salários e prémios... estas pessoas é que deviam ter vergonha, mas esse é um sentimento com baixa cotação...
ai. tanto cinismo!

Sem comentários: