I am not

I am not
quotation

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Hoje criei um novo blogue...

designado: ADECAP
... para a associação do mesmo nome...

O endereço é este:

http://adecap.blogspot.com

O tempo escasseia-me, porém.
No próximo domingo parto para Inglaterra. Vou à Universidade de Leicester apresentar uma conferência no colóquio internacional de homenagem à Prof. Susan Pearce, Material Worlds (dia 15) e logo a seguir ao colóquio TAG de 2008 (Theoretical Archaeology Group Conference) em Soutampton, onde coordeno uma sessão (dia 17).
Volto no dia 18 à noite.

Por isso os leitores deste blogue vão encontrar um hiato, pelo menos entre 14 e 19 (mal regresso, logo me tenho de levantar no dia segunte para aulas de uma disciplina de mestrado, a começar no dia 19 às 8,30 h, o que para mim significa levantar-me de madrugada!). Esta vida é dura.

Por outro lado, tenho de interromper esta actividade bloguista viciante por uns dias, porque tenho de me preparar para Inglaterra, e tenho imensas aulas antes de partir.
Não há-de ser nada.

Aprendi uma coisa na vida: nunca há descanso. Quanto mais fazemos, mais nos exigem.
Há sempre quem aponte defeitos ou quem elogie muito (dois actos que mutuamente se anulam, no receptor): mas é raro quem de facto esteja DISPONÍVEL PARA O VERDADEIRO ENCONTRO.

Assim, o melhor é estar descansado dentro do próprio cansaço e estar parado dentro do próprio movimento, e manter a calma dentro do maior stress, e sentir-se muitos dentro da própria solidão, e fazer justiça a si próprio quando nos ferem com injustiças, e ficar impávido mesmo quando os outros à volta ou ao longe se esganiçam. Etc!
Compreendem o ponto?... o importante é estar bem consigo próprio, e sentir que se está a fazer coisas giras, descobertas, a pôr luzes no inverno baço, calor no gelo...mas sem o derreter, porque o gelo é belo, e limpa!



3 comentários:

mdsol disse...

Boa sorte para o novo blog
Boa Conferência!

Espero que, entre tantas (pre)ocupações, arranje tempo parar dar um saltinho ao branco no branco!

:))

José Manuel disse...

Já no século XVI os estatutos dos colégios jesuítas aconselhavam que:
“Nada deve ser mais importante nem mais desejável (…) do que preservar a boa disposição dos professores (…). É nisso que reside o maior segredo do bom funcionamento das escolas (…).”

“Com amargura de espírito, os professores não poderão prestar um bom serviço, nem responder convenientemente às [suas] obrigações.”

“Quando um professor desempenha o seu ministério com zelo e diligência, não seja esse o pretexto para o sobrecarregar ainda mais e o manter por mais tempo naquele encargo. De outro modo os professores começarão a desempenhar os seus deveres com mais indiferença e negligência, para que não lhes suceda o mesmo.”

Vitor Oliveira Jorge disse...

Darei,mdsol!
_____________

citou, e disse, Zé.