quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

continuamente





tenho a bateria à minha frente
e ergo bem altas as varetas
com que a percuto

tenho a luz à minha frente
e ergo bem altas as lâminas do estore
com que a fatio

tenho a imagem mesmo
à minha frente,

e ergo com força
bem altas
as forças abertas da ascensão

sagrado momento
em que a viola toca eléctrica

deserto da presença branca
da sedução ajoelhada

os tornozelos vergam-se
até ao meio da presença

os dedos entram pelo umbigo,

pela sombra que vem
já de um outro lado

e o olhar concentra-se aterrado
nas torrentes, nos fluidos
que desfazem o ser,

maravilhado

cabelo totalmente encadeado

no momento mesmo em que se iam
erguer altas as varetas da ausência

bater com força
no rosto indecente

traçar com luz
os lábios os olhos

reduzir tudo
a riscos e lampejos,

dispersar de novo os beijos
que te juntaram absurdamente
aqui

nesta fonte que de dentro
de si mesma

se vem

continuamente




________________________

Foto (rep. aut.): Katarzyna Widmanska
Site: http://www.widmanska.com/show/index.php?x=browse&pagenum=1
texto: voj jan. 2009 porto


4 comentários:

Eli Anita disse...

Gostei muito...

Vitor Oliveira Jorge disse...

Obrigado!

betina moraes disse...

vitor,

muito sensível e com construção que dá a oportunidade para respirar entre um momento e outro...

bonito!

grande abraço!

Vitor Oliveira Jorge disse...

outro. obrigado.