quinta-feira, 11 de dezembro de 2008






No escuro da noite
Só te encontro por flashes,
Atrás de portas,
Entre

Uma alumiação e outra

Por imagens
Por versos curtos,

Numa toada lenta
Que vai embebendo
As esquinas
Os cantos

Aqui e ali

Iluminada numa árvore
Sozinha num candeeiro

Por ruas estreitas
Entre tábuas,
Entre anúncios

Num apagar e num acender

E no escuro da manhã
Só encontro uns jeans
Para ir procurar-te

Clarão
Relâmpago
Tornado

De que me aproximo
Sempre com o mesmo fervor
Do centro

Sempre com a mesma ânsia
De janelas
Acesas
Em pleno dia

Como lampiões esquecidos

E entro na hélice
Subo pelo turbilhão
Como um anjo maquinico

E dou comigo na praia
No deserto
Em algum lugar a que não pertenço

Sobre uma areia que é leve
Entre pedras negras e brilhantes

Uma ondulação baixa,
Escura
Onde os teus jeans jazem
Desconcertados
Sobre a espuma

E assim te encontro
Como vestígio

Um olhar
Entre dois pontos
De interrogação





_________________________
Foto: Pascal Renoux (rep. aut.)
Site: http://www.pascalrenoux.com/

texto voj 2008 dezembro porto

2 comentários:

Sill Scaroni disse...

Encontros e desencontros ...

Linda poesia.

Sill

sakiko wang disse...

Vitor,

Gostei imenso do seu poema. fez-me sonhar.

: )