I am not

I am not
quotation

sábado, 11 de abril de 2009

Paris transbordante...

Uma exposição conceptualmente muito importante para qualquer arqueólogo, e não só!



















Louvre





























Chorões sobre o Sena















Museu do Quai d' Oesay (exterior)








Opéra Bastille














Notre-Dâme

















Nestes cafés de culto não entro: fotografo de fora! Safa, é muito caro... prefiro poupar para comprar o que só posso mesmo comprar em Paris... felizmente aguento muitas horas sem comer, desde que tenha tomado um bom pequeno-almoço...
Além disso não aprecio a clientela chic pretensiosa que os invade... confesso - detesto a "burguesia" ! É coisa que vem de sempre, da minha condição social e da minha ideologia. Sou e serei até morrer um trabalhador, uma pessoa que valoriza o esforço e o trabalho contra o laissez-faire neo-liberal e blasé. Tenho aplicado em "cultura" tudo o que tenho podido ganhar com o meu salário de professor. No fundo desejo esse capital, muito mais importante que tudo para mim: perceber, adquirir as competências para poder entrar com algum conhecimento de causa nos debates do nosso tempo... pelo menos a partir do meu ângulo de visão. Todos os dias tento dar um passo em frente... e só depois me estirar ao sol, como nas Tulherias, com a consciência de ter aproveitado bem o tempo e os milhares de euros em que ficam as brincadeiras destas viagens... apesar de toda a ginástica!



Esta livraria e a que está próxima, em Saint-Germain des Près, são para mim um lugar de culto: estão abertas até tarde... também o eram as FNAC, especialmente as FNAC Musique, mas lamentavelmente (crise por todo o lado) a que estava perto da Opéra antiga já fechou, e vão também fechar a FNAC Musique de La Bastille, onde ainda fomos recolher algumas preciosidades !!!!!!!




























Mercado de rua...














"(...) em nenhum lado como no cristianismo, a obra de arte como tal se apresenta de forma mais patente, naquilo que ela é sempre e por todo o lado - obscenidade. A dita-mensão [dit-mension] da obscenidade, eis o aspecto pelo qual o cristianismo reaviva a religião dos homens."
Jacques Lacan, Seminário XX
citado por Jean-Pierre Cléro, "Dictionnaire Lacan", Paris, Ellipses Éd., 2008, p. 65



















Contestação dos estudantes universitários nas ruas...


Fotos voj paris abril 2009

Sem comentários: