I am not

I am not
quotation

quarta-feira, 15 de abril de 2009

A Economia para além da Economia

SEMINÁRIO PENSAMENTO CRÍTICO CONTEMPORÂNEO
a economia para além da economia

de 7 de Maio a 11 de Junho de 2009



ISCTE

Auditório B203 (Edifício II)

2ªs e 5ªs das 19h às 20h30

metro: Entrecampos | Cidade Universitária


Inscrição necessária, lugares limitados!




Organização:

CRIA Centro em Rede de Investigação em Antropologia

unipop www.u-ni-pop.blogspot.com


A presente crise convida a um debate acerca do económico que convoque diferentes tradições teóricas das ciências sociais e do pensamento político. A unipop, no seguimento dos seminários de introdução ao pensamento crítico contemporâneo, e o CRIA, centro em rede de investigação em antropologia, promovem um encontro mais demorado com a economia, interrogando os próprios limites da divisão entre económico, político, social e cultural. Através do percurso de vários autores e tradições, o seminário procurará debater a economia a partir de um lugar onde teoria social, pensamento económico, filosofia, antropologia e história dos movimentos sociais se revelem indissociáveis. O seminário está aberto à frequência de todas e todos que por ele se interessem, não sendo necessário qualquer tipo de qualificação académica ou profissional. A fim de um melhor aproveitamento das sessões, será distribuído material de leitura aos inscritos.



+++++++++++++++

Inscrições: unipopeconomia@gmail.com
Preço: 15€, dando direito a entrada em todas as sessões e a material de leitura. Será emitido certificado de participação.
A possibilidade de inscrição apenas em determinadas sessões está limitada ao número de lugares disponíveis em cada sessão (não há portanto reserva prévia, é preciso confirmar no local) e ao pagamento de 4€.


*************************

Programa

* no final é possível encontrar um breve cv de cada conferencista





7/5: a produção em deleuze e guattari [sessão de abertura, entrada excepcionalmente livre]

maurizio lazzarato



11/5: a dádiva em marcel mauss

filipe reis



14/5: a grande transformação de karl polanyi

francisco louçã



18/5: ben fine e os mundos do consumo

emília margarida marques



21/5: foucault, governamentalidade e liberalismo

josé luís câmara leme



25/5: a economia política alemã em georg simmel

e max weber

josé luís garcia



28/5: a moeda viva de pierre kolokowski

josé bragança de miranda



1/6: harold innis e a economia política dos media

filipa subtil



4/6: operários e capital de mario tronti

ricardo noronha



8/6: david harvey, economia e espaço

hugo dias



11/6: karl marx crítico de friedrich list

josé neves





Apoios: NúMENA | AEFCSH | AEISCTE | ATTAC-PORTUGAL





Apresentação dos conferencistas



Maurizio Lazzarato é sociólogo e filósofo, membro do Labaratoire Matisse-Isys (Universidade Paris 1) e da direcção da revista Multitudes. Entre as suas áreas de interesse estão os movimentos precários, a relação entre trabalho e arte, Gilles Deleuze, Gabriel Tarde. Recentemente publicou "Intermittents et Précaires" (com Antonella Corsani) e "Puissances de l’invention. La psychologie économique de Gabriel Tarde contre l’économie politique".



Filipe Reis é antropólogo, investigador do CRIA e professor no ISCTE, onde lecciona disciplinas na área da antropologia económica e da antropologia dos media, áreas nas quais tem publicado vários trabalhos. Realizou uma tese de doutoramento intitulada "Comunidades Radiofónicas. Um estudo Etnográfico sobre a rádio local em Portugal".



Francisco Louçã é economista, professor no ISEG-UTL, deputado ao parlamento português e coordenador do Bloco de Esquerda. Tem desenvolvido investigação a nível da história da economia e da teoria dos ciclos. Entre outros, publicou "Das Revoluções Industriais à Revolução da Informação" (com Chris Freeman) e "Turbulência na Economia".



Emília Margarida Marques é antropóloga, investigadora do CRIA. Realizou o seu doutoramento em 2003, com uma tese intitulada "Conduzir a máquina, construir o trabalho. Sobre usos sociais da matéria". Tem vários trabalhos publicados acerca de trabalho, indústria e técnicas, cultura material e consumos.



José Luís Câmara Leme é filósofo, professor na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Técnica de Lisboa, onde lecciona disciplinas nas áreas da Filosofia da Técnica e da Filosofia da Ciência. Doutorou-se em filosofia com uma tese acerca de Michel Foucault, sobre o qual tem vários trabalhos publicados. Tem igualmente trabalhado a obra de Hannah Arendt.



José Luís Garcia, sociólogo e investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, tem-se dedicado, entre outras matérias, ao estudo da ciência e tecnologia contemporâneas. Entre outras publicações, co-editou recentemente o livro "Razão, Tempo e Tecnologia - Estudos em Homenagem a Hermínio Martins".



José Bragança de Miranda é sociólogo, professor na FCSH-UNL e professor convidado na Universidade Lusófona. As suas principais áreas da investigação são cibercultura, cultura, comunicação e media. Entre outros, publicou Queda sem fim, Teoria da Cultura e, mais recentemente, Corpo e Imagem.



Filipa Subtil é socióloga e professora na Escola Superior de Comunicação Social do Instituto Politécnico de Lisboa. A sua principal área de investigação é a sociologia dos media e a teoria da comunicação. Tem trabalhado a obra de Harold Innis e publicou recentemente "Compreender os media. As extensões de Marshall McLuhan".



Ricardo Noronha é historiador, investigador do Instituto de História Contemporânea da FCSH-UNL. Realiza actualmente uma investigação de doutoramento acerca da nacionalização da banca em Portugal durante o período revolucionário.



Hugo Dias é sociólogo, investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, onde realiza actualmente o seu doutoramento sobre sindicalismo e movimentos sociais, área onde tem publicado os seus trabalhos.



José Neves é historiador, investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, onde realiza actualmente pós-doutoramento. Tem-se dedicado ao estudo dos nacionalismos e à história do comunismo. Publicou recentemente "Comunismo e Nacionalismo em Portugal – Política, Cultura e História no Século XX".


Sem comentários: