I am not

I am not
quotation

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Pornografia - uma contribuição

Aqui vai a minha modesta e sucinta contribuição para a reflexão do Vítor sobre "porno-grafia" (pela mão de Andres Serrano - quem mais?!):



Andres Serrano, 2000, The Interpretation of Dreams (Triumph of the Flesh).
Fonte: Artnet

3 comentários:

Vitor Oliveira Jorge disse...

Ena, pá, não estava à espera desta! Ainda nos encerram o blogue...

Vitor Oliveira Jorge disse...

Ainda um dia ponho aqui os meus autores e autoras preferidos... antes de nos encerrarem isto!

Vitor Oliveira Jorge disse...

Com a devida vénia ao meu colaborador e amigo, creio que ele não se apercebeu ainda totalmente do sentido que eu tento dar à porno-grafia. Ao sentido subversivo que esta PODE ter, apesar de em 99,9% dos casos ter sido aspirada para dentro do sistema da vulgar mercadoria, mesmo nos melhores e transgressivos autores. Mas por vezes (raríssimas) aflora no material dito porno-gráfico (ou é possível o receptor reciclá-lo nesse sentido, claro), algo que é da ordem da destruição da narrativa e da representação, ou seja, da inscrição da ideologia que respiramos e que, essa sim, com o seu moralismo hipócrita, é pejorativa no sentido de ser in-decente. O que eu procuro é a explosão da moral tradicional, a favor não da libertação ilusória dos indivíduos para o gozo que se lhes promete, e que o sistema capitalista usa como um aliciamento para o consumo generalizado (a começar pelo consumo do indivíduo por si mesmo) mas no sentido de uma sublimação que leve a porno-grafia sustentada até ao sublime. Isto exige muito estudo e muita escrita. Mas deixo aqui este apontamento. O acto pornográfico por segundos furtado às regras do amor, do carinho, do humanismo, em suma. Trata-se de um teatro da crueldade.