sábado, 26 de dezembro de 2009

a desorientação


Nos seus tempos livres, as pessoas "matam o tempo". Quer dizer, procuram esquecer o seu vácuo e a inexorável consciência da morte, com "passatempos".
Se estão acompanhadas, interagem, nomeadamente com conversas, jogos, toda a variedade de tragicomédias, e confissões. Amor e amizade, subitamente despontados, derramam-se pelo planeta em biliões de votos. Nem que seja para grupos de muitos interlocutores, para atingir o maior número.
Se estão sozinhas, comunicam através dos mais diferentes meios. Puxam do cigarro ou do telemóvel com a destreza com que os cow boys puxavam das pistolas. Enviam mails, mensagens, entram em chats, etc. Também bebem, comem, dedicam-se ao prazer solitário (mesmo que estejam com outro ser humano), ou se drogam, quanto mais não seja consumindo os media.
Alguns esforçam-se ainda para encontrar a salvação, estudando, no meio da confusão geral.
Desorientados no núcleo. Com a sua economia libidinal esventrada.



2 comentários:

SjsVls disse...

Auto-retrato?

Vitor Oliveira Jorge disse...

talvez, também.Nós só falamos de nós, por interposto assunto. E de nós não sabemos nada.