I am not

I am not
quotation

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Fotografando o esplendor: Escorial, Espanha: domingo, 4 de Outubro de 2009



















































































































Fotos: VOJ
Infelizmente certas imagens esplendorosas de pinturas, esculturas, interiores, tectos magníficos, não posso reproduzir aqui... há que visitar este sítio, não durante umas horas, mas senti-lo durante um dia, ao menos!

3 comentários:

Blogat disse...

TOTALMENTE ESPLÊNDIDO!!!Imagino(e só isso por enquanto) o sentimento "in loco"...

Vitor Oliveira Jorge disse...

Visitei o Escorial pela primeira vez quando estava a acabar o liceu, numa excursão de finalistas... foi a minha primeira viagem ao estrangeiro... é claro que agora o vi com outros olhos... é um desses lugares que tem de se visitar algum dia.

Vitor Oliveira Jorge disse...

Escreveu-me uma pessoa: "Estive a ver o seu blog e reparei que visitou o Escorial...Infelizmente, ainda não consegui visitar esse monasterio, porque quero muito visitar o túmulo imperial de Carlos V e de Isabel de Portugal (é um casal histórico por quem tenho muito fascínio!; dizem que era muito bonita: aliás, basta ver o retrato que dela fez Ticiano... Já Carlos fascina-me pelo seu sentido militar e artístico...)."
___________________
Respondi: Tenho passado a vida a ver o que a nobreza e a igreja mandaram fazer!
Desloco-me mesmo de longe (como vê) só para isso.
Madrid está mais perto e mais barato que Lisboa graças à Ryanair. E a Espanha é um colosso, um magnífico resto de um império que Portugal jamais foi!
Visitei este local aos 17 anos (ou 16, não me recordo bem, foi numas férias de Páscoa) e a emoção viajante mesclava-se de outra erótica, pois ia com a primeira namorada e o fogo devorava-me as entranhas. De modo que foi inesquecível mas nublado no que toca às apreciações eruditas.
(...)
Já agora, em Madrid, o convento das Carmelitas Descalças foi a maior revelação. Mas não se pode tirar uma fotografia sem se ser expedido (imagino) para a esquadra mais próxima ou para o inferno mais ardente, a prazo. Belíssimo sítio, vigiado como uma jóia que é, com umas mulheres-polícia a olhar para a minha máquina fotográfica como para coisa obscena. Estes exageros espanhóis...