sexta-feira, 20 de março de 2009

Se...

... os arqueólogos e os historiadores (para não falar noutras pessoas) tivessem lido e incorporado (disse lido e incorporado) "A Arqueologia do Saber" de Michel Foucault (L' Archéologie du Savoir, Paris, Gallimard, 1969, ou seja, há quarenta anos), que julgo que ainda não está traduzido em Portugal (só isso diz tudo sobre o que é o nosso país) o saber e a prática destas "disciplinas" teria seguido outro rumo.
Se você está entre aqueles que não leu, e deseja pensar alguma coisa de jeito nestas e noutras áreas, faça a si próprio(a) um favor mesmo urgente: compre HOJE pela net a edição francesa, ou brasileira, ou espanhola, ou inglesa, ou o que quiser, ponha de parte tudo o que está a ler, e meta-se à leitura.
Como diz a publicidade: se não ficar satisfeito(a) eu devolvo-lhe o dinheiro e fico com o livro para dar a um(a) amigo(a) que também precise dele.
É uma daquelas esquinas de pensamento tais, que uma pessoa pergunta-se: como é possível, depois deste livro, muita da história e da arqueologia que se faz?!
Por que lhes deste, meu deus, tanta falta de clarividência?! Tende piedade!



4 comentários:

Hugo disse...

Já há uma tradução (de 2005, salvo erro) publicada pela Almedina. Continuação de bom trabalho!

Rui Gomes Coelho disse...

O livro que refere foi publicado pela Almedina em 2005, com uma apresentação de António Fernando Cascais, da FCSH-UNL.

Vitor Oliveira Jorge disse...

Tem toda a razão! Tinha-me esquecido. Obrigado!
De facto:
http://www.almedina.net/catalog/product_info.php?products_id=3931

Vitor Oliveira Jorge disse...

Agradeço a ambos a correcção.