I am not

I am not
quotation

quarta-feira, 18 de março de 2009

intersecções


por sobre o teu corpo
corre um rio translúcido
e há uma canção muito alta
a querer trespassar o nevoeiro

por dentro do teu corpo azul
passa um rio interminável
e uma garganta tenta acender um som
ténue como uma lâmpada

por debaixo da tua língua
passa toda a minha biografia
em busca da casa alta, a que fica
junto ao rio, dentro do corpo

por sob a casa passa o rio
de nós juntos, o que une a cabeça
aos pés do casal deitado.
e o mármore místico das figuras.

dentro da boca entreaberta
fios de som azul tentam unir-se
numa canção que chame o nevoeiro
que faça correr a água

que faça correr a casa
e os sifões de rios que sob ela passam
noite e dia, do passado para o futuro
e de cima para baixo, em queda ou voo

bebemos pela mesma garganta
essa água azul, esse sangue interminável
que nos atravessa o corpo, a casa,
e queremos encontrar o chão onde unirmos

o grito ao nevoeiro
o espasmo ao espanto
as cores, as luzes, as geografias.

as tuas peúgas ficaram caídas
sobre o livro meio aberto

entre paredes de cal, no chão,
procuramos o local mais propício

enquanto um silvo tenta erguer-se
noutra época
entre os candeeiros acordados,
ou um som de comboio aéreo
atravessa o meio da noite;

e sob os seus rails passa um rio;
e sob o seu rio está a casa;
e sob a casa estamos os dois inumados.

mas passa o nevoeiro, sempre,
sobre a nossa confusão.



____________
Imagem (rep- autor.): Frank Herholdt
site: http://www.frankherholdt.com/html/personal_detail2.php?id=160&gallery=Personal

texto: voj porto março 2009

3 comentários:

ginha no país das maravilhas disse...

Estas palavras tiram-me o ar...
Obrigada pela partilha.

AM disse...

Belo texto. Parabéns!

Vitor Oliveira Jorge disse...

Gracias !