I am not

I am not
quotation

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Há 36 anos, precisamente...


... a 16 de Setembro de 1972


Eu e a Susana casámos em Lisboa, isto é, assinámos o nosso "contrato" (!!) no "Registo Civil" da Av. Guerra Junqueiro, que une a Praça de Londres à Alameda D. Afonso Henriques.
Era uma manhã de sábado.
Foram nossas testemunhas o Eduardo Serrão e a mulher, Ana Serrão, já falecidos.
Estiveram lá os meus pais e a minha sogra, além das minhas irmãs Guida e Isabel.
Eu tinha 24 anos e a Susana 19 (ainda era menor, segundo as leis da altura)


Um beijo para vocês, destes emigrantes reincidentes!

________________
Foto de cima: visitando um palácio de Marraqueche, 6 de Setembro de 2008

1 comentário:

Vitor Oliveira Jorge disse...

Nesse dia, ao fim da tarde, encontrámo-nos com os nossos amigos na Gambrinus e depois partimos para Sesimbra, onde o Serrão tinha uma casa (na Cotovia), que nos emprestou, e onde a partir da segunda-feira seguinte (isto é 18 de Setembro) um carro da Câmara nos ia buscar para as escavações que fizemos... no castelo (mais propriamente, a fortaleza, dentro da vila murada) de Sesimbra !!!
(em part time...)
Na altura a Susana sonhava dedicar-se à arqueologia medieval, coisa que praticamente não existia em Portugal.
Esse trabalho foi depois publicado por nós e pelo Eduardo Serrão, que nos ia prestar ajuda quando podia, vindo de Lisboa, e que colaborou decisivamente no estudo dos materiais.
Lembro-me de que éramos frequentemente rodeados por turistas que vinham visitar o "castelo" e viam as escavações lá de cima, do caminho de ronda, junto às ameias. Uma vez não estávamos a encontrar nada de especial (procurávamos o que restava da "casa do alcaide", que julgamos ter encontrado), mas uma americana um tanto histriónica gritava do alto das ameias: "fantastic, fantastic!"
Era bom vir ao fim da tarde até Sesimbra, quando esta ainda era uma vila relativamente sossegada, e não um subúrbio de Lisboa...e a casa do Serrão, que não tinha luz eléctrica, porque eles não queriam (apenas na sala um candeeiro a gás magnífico, parecia inglês antigo), ficava no meio de pinhais...